Sem categoria

Vinícolas brasileiras projetam negócios de US$ 400 mil em feira na China — Falando em Vinhos

A participação das vinícolas brasileiras na ProWine China, que ocorre entre os dias 7 e 9 deste mês, deve resultar em US$ 400 mil em vendas. A projeção é de ampliar o mercado para os vinhos brasileiros num dos países que mais cresce em consumo. A estimativa de comercialização foi feita pelas vinícolas Aurora, Miolo, […]

via Vinícolas brasileiras projetam negócios de US$ 400 mil em feira na China — Falando em Vinhos

Anúncios
Padrão
Sem categoria, Vindima, Vinhos

Vai começar a Vindima 2017!

Olá, amigos!

No início de 2017 (entre janeiro e fevereiro) começará a Vindima no Brasil (sobre a vindima, falamos neste post Começou a Vindima 2016!)

A vinícola Casa Valduga já anuncia os dias de sua festa da colheita: entre 26 de janeiro e 26 de fevereiro, todos os fins de semana. O site de turismo sustentável Viajar Verde tem todas as dicas para quem quiser participar do evento: Vindima 2017 Casas Valduga

Querem conhecer mais sobre a Casa Valduga? Olhem que legal este vídeo promocional:

 

Viva a festa da Vindima!

Padrão
Vinhos

Sete Dicas Para Harmonizar Vinhos — ALEMDOVINHO

Antes é importante destacar que não há nenhuma regra fixa e imutável para harmonizar vinhos e culinária. Bebe-se o vinho que der vontade com os pratos que dão prazer. Entretanto, importante avisar sobre os casamentos perfeitos na harmonização. Lembrando que os vinhos têm alguns elementos essenciais que já vimos ao longo das publicações. Acidez, açúcar, […]

via Sete Dicas Para Harmonizar Vinhos — ALEMDOVINHO

Padrão
Vinhos

Acidez X Taninos

image

Olá, gente!

Há alguns posts falei sobre os taninos. Mas é difícil falar dos taninos sem mencionar seu oposto na boca: a acidez nos vinhos.

Pesquisei sites e achei um vídeo bem legal no YouTube que explica de forma clara e simples a diferença entre os dois. Então vamos lá:

O tanino deixa uma sensação de amargor na boca, como o que acontece com a cica de uma banana verde. E sua percepção é bem maior nos vinhos tintos.

A acidez dá uma sensação de salivação nos cantos da boca, como se chupássemos um limão. Ela é importante nos vinhos brancos para garantir sua refrescância.

No “Blog do Vinho Tinto”, a Sommelier Etiene Carvalho dá uma explicação simples e bem interessante sobre essas diferenças no paladar:

Blog do Vinho Tinto, fev. 2016

A Revista Adega, de 2006, dá uma explicação mais detalhada e técnica sobre essas diferenças e sua importância para a qualidade do vinho:

Revista Adega – 2006

E este vídeo do YouTube, da Adriana Grasso, tem só 1 minuto, mas explica de forma bem divertida o que é tanino e acidez:

Tanino e acidez – vídeo de 1 minuto

Espero que tenham gostado. E, se ainda houver dúvidas, perguntem, ok? Sua dúvida pode ser de outro também 🙂

Beijos e bom início de semana!

 

 

 

 

Padrão
Sem categoria, Vinhos

Apaixone-se pela Sauvignon Blanc — ALEMDOVINHO

Um dos mais interessantes exemplos da influência do terroir é com a Sauvignon Blanc. Impressionante como ela muda de estilo em cada terroir onde é plantada. Mesmo sendo a muitos apresentada na última década ela é uva antiga e tradicional da região central e sudoeste da França. Afinal ela é “mãe” da Cabernet […]

via Apaixone-se pela Sauvignon Blanc — ALEMDOVINHO

Padrão
Vinhos

Tanino: o que é?

Olá!

Hoje, vou falar sobre o tanino, palavra muito ouvida pelos apreciadores de vinho, mas talvez, pouco compreendida.

Como encontrei muitas informações interessantes sobre o tanino em blogs especializados e livros, vou “deixá-los falar por mim”. Anexarei alguns links de blogs bem interessantes e explicações de especialistas sobre o tanino.

De acordo com o site “Tintos & Tantos” www.tintosetantos.com:

“(…) Mas o que são esses taninos? De onde eles vêm? Quais são os vinhos com mais e com menos tanino?

Tanino é uma substância natural encontrada em plantas: em suas sementes, madeiras, folhas e cascas de frutas. Os taninos atuam como defensores das plantas contra o ataque de herbívoros, tornando seu sabor desagradável, principalmente quando ainda não estão maduras o suficiente.

E por que os taninos dão a sensação de secura e adstringência na língua e no palato, ou seja, a mesma impressão de “boca amarrada”, de quando comemos banana ainda verde? Tecnicamente, uma das principais características dos taninos é a capacidade de precipitar as proteínas. Como a saliva é rica em proteínas, é essa interação que nos dá a sensação de adstringência de alguns frutos, principalmente os pouco maduros. Quanto mais maduros os taninos, menos agressivos eles se tornam.

Alguns alimentos ricos em taninos são: uva, pera, maçã, maracujá, romã, açaí, nozes, amêndoa, cacau, cravo, canela, feijão vermelho…

Os taninos do vinho podem vir das uvas (de suas cascas, sementes e caules) ou da madeira dos barris de carvalho (…)”.

Segundo o livro “Tradição, conhecimento e prática dos Vinhos”, de Danio Braga e Célio Alzer: “A sensação de adstringência é reconhecida porque os taninos, em contato com as mucosas da boca e da língua, subtraem água e ao mesmo tempo precipitam a mucina (proteína da saliva que lubrifica as mucosas), deixando a boca áspera ou com cica.” (“capítulo 4 – Elementos constituintes do vinho”).

Já de acordo com o livro “O Gosto do Vinho”, de Émile Peynard e Jacques Blouin, há uma comparação entre tanicidade e acidez dos vinhos: “Quanto menos taninos tem um vinho tinto, mais ele suporta a acidez (necessária a seu frescor). Quanto mais rico em taninos é um vinho tinto (necessários a seu desenvolvimento, à sua longevidade), mais baixa deve ser sua acidez. Uma taxa elevada de taninos associada a uma forte acidez dá os vinhos mais duros e os mais adstringentes.”

Os sites aqui anexados dão uma explicação mais detalhada e técnica sobre o tanino e seus efeitos nos vinhos. O primeiro é da conceituada Revista Adega. O segundo é o blog do Sommelier Marcelo Vargas. Neles, haverá sempre a palavra “fenol”, um composto químico importante para a existência do tanino. De acordo com o site “Manual da Química”, “fenóis são um grupo de compostos orgânicos caracterizado pela presença de uma hidroxila (OH) ligada a um carbono insaturado de um anel benzênico (núcleo aromático)”.

(fórmula estrutural de um fenol simples. Sim, vinho também é aula de química! 🙂 )

Seguem, abaixo, os links dos sites aos quais me referi acima:

Revista Adega – 23/12/2015

Blog do Sommelier Marcelo Vargas

Mais sobre os fenóis. Voltando às aulas de química 🙂

 

Caso ainda tenham dúvidas, as portas estão abertas! Um grande abraço.

 

Padrão